Governo de Minas Gerais nomeia 459 professores da UEMG
Publicado: 22/09/2017 12:47 | Atualizado: 10/10/2017 13:48
Divulgação Divulgação

Foi publicado nesta sexta-feira (22), no Diário Oficial do Estado, após aprovação na  Câmara de Orçamento e Finanças (COF), a nomeação de 459 professores de educação superior aprovados no concurso público realizado pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Os servidores serão distribuídos em 11 unidades da instituição, presentes em sete municípios do Estado: Belo Horizonte, Barbacena, João Monlevade, Ubá, Leopoldina, Frutal e Poços de Caldas. Outras cinco nomeações, referentes à unidade de João Monlevade, serão publicadas neste sábado, dia 23.

Com as posses, a instituição terá 40% de professores efetivos. O percentual representa 500% de aumento, uma vez que a universidade tinha apenas 8% de docentes efetivos.

“O empenho do governador Fernando Pimentel na busca da qualidade de uma universidade pública e de qualidade representa o trabalho que vem sendo exercido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), por meio da subsecretaria de Ensino Superior”, destaca o secretário Miguel Corrêa. A universidade sofria com a defasagem de professores efetivos, uma vez que o último concurso aconteceu há quase 20 anos.

 Para o subsecretário de Ensino Superior, Márcio Rosa Portes, a nomeação dos professores representa a execução de projetos de pesquisa e extensão em longo prazo. “Isso é mais uma prova de valorização do ensino, dentre outras que já ocorreram desde 2015. Professores efetivos na universidade garantem a qualidade do ensino, pesquisa e extensão, já que mantém o vínculo do profissional, diminuindo a precariedade que é a relação de designação. Isso permite que eles elaborem ações para períodos maiores”, afirma. 

“Devido às restrições impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, a nomeação só poderia ocorrer desde que não provocasse nenhum impacto financeiro, o que acabou sendo possível após estudos realizados pela Subsecretaria de Gestão de Pessoas (Sugesp) da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) em parceria com a UEMG”, explica a subsecretária de Gestão de Pessoas, Warlene Salum Drumond.

As nomeações publicadas nesta sexta-feira favorecem o cumprimento das exigências para o recredenciamento da UEMG como universidade pública. As vagas restantes do concurso de 2014 serão encaminhadas à Comissão de Orçamento e Finanças (COF) assim que novos estudos que não comprovem impacto financeiro, que estão em curso, for concluído.

Para o presidente da Associação dos Docentes da Uemg (Aduemg), Emmanuel Duarte Almada, a nomeação dos professores para a instituição de ensino superior representará mudança no cenário político. “Ter um quadro maior de efetivos significa maior poder de reivindicação e de articulação. É algo importante porque permite avançar nas demais pautas requeridas pela categoria, além da consolidação dos processos democráticos no âmbito da gestão universitária”, avalia.

 

Seplag aprova pedidos de nomeação da Unimontes para os concursos de Professor e Médico Universitário

Também resultado do concurso de 2014, a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) chegou ao total de 70% de professores efetivos, invertendo totalmente a situação encontrada em no início da gestão Fernando Pimentel. A COF aprovou o pedido da universidade para realizar outras nomeações do concurso público para professor de educação superior e também dos primeiros colocados no concurso público para médico universitário, no âmbito do Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF).

“O empenho para melhoria do ensino superior também está concentrado no norte de Minas Gerais. O trabalho exercido pelo hospital universitário é capaz de atender uma grande demanda do sul da Bahia”, destaca o secretário Miguel Corrêa.

Para o concurso de Professor de Educação Superior, foi aprovado o pedido de 86 nomeações para subáreas vinculadas a 17 editais: Artes, Clínica Médica, Comunicação e Letras, Direito Privado, Direito Público Adjetivo, Educação Física, Educação, Enfermagem, Biologia Geral, Fisiopatologia, Geociências, História, Métodos e Técnicas Educacionais, Odontologia, Políticas e Ciências Sociais, Ciências da Computação e Ciências Exatas.

“Este é um ato de extrema importância para a nossa Universidade, uma vez que dá sequência a uma ação estruturante da Unimontes. Um dos trabalhos mais concretos e desafiantes dos últimos tempos e seguimos determinados e pertinentes com a perspectiva de, a cada momento, valorizar ainda mais o nosso corpo docente e os nossos profissionais”, destacou o reitor.