Inscrições da 19º rodada do Grand Challenge Explorations estão abertas
De todos os 65 países que tiveram pesquisadores apoiados, 12 são brasileiros e 3 mineiros. O prazo vai até 03 maio.
Publicado: 29/03/2017 17:46
Foto/Divulgação Foto/Divulgação

A Fundação Bill & Melinda Gates (FBMG) lançou a 19ª rodada da chamada Grand Challenges Explorations para submissão de propostas até 03 de maio de 2017 (quarta-feira). Os temas dessa rodada são:

·         Tecnologias (waerables) para mudança comportamental em saúde materna, neonatal e infantil;

·         Novas abordagens para imunizações de rotina em ambientes com poucos recursos;

·         Inovações para sistemas integrados para diagnósticos;

·         Sistemas de saúde mais fortalecidos com cadeias de suprimentos mais efetivas.


Mais de 1200 projetos já foram apoiados em mais 65 países, sendo 12 deles brasileiros e três mineiros:

 

Ricardo Capúcio de Resende: Universidade Federal de Viçosa/MG – Um motor de precisão semeador

 

Zilma Reis: Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte/MG – Light-Scan Skin Age, aparelho portátil, simples e de baixo custo que utilizará luz de LED para medir a espessura da epiderme e a concentração de queratina na pele do recém-nascido

 

Heverton Dutra: Centro de Pesquisas René Rachou – FIOCRUZ Belo Horizonte/MG - Uma Dieta Artificial para Wolbachia

 

Para o pesquisador Heverton Dutra, premiado na edição de 2016, a conquista do projeto junto à Fundação Bill & Melinda Gates foi uma sensação ímpar. “Desde o dia em que li o edital e resolvi submeter a minha proposta, fiquei animado com a Fundação, pois ficou claro que para eles o que interessa é única e exclusivamente uma boa ideia. Não estão preocupados se a pessoa possui uma carreira científica já solidificada, o que acaba acontecendo apenas com pesquisadores mais avançados no meio acadêmico”, relata.

Dutra também destacou o processo de revisão pelos pares, que acontece todo de forma anônima, garantindo que a criatividade e o caráter inovador da pesquisa prevaleçam ao final, independentemente de serem provenientes de um aluno de mestrado, doutorado, um postdoc ou pesquisador sênior. “Acredito que, a priori, o que mais me marcou na conquista do prêmio foi a abertura que ele me deu para explorar mais as minhas ideias. Arriscar mais. Diversas vezes durante a execução do projeto, tivemos problemas. Algo que inicialmente acreditávamos que funcionaria, ao colocarmos na prática, tinha um resultado inferior ou oposto ao esperado. Isto fez com que saíssemos da nossa zona de conforto de forma a buscar soluções arriscadas que ninguém nunca antes havia testado”, destaca o pesquisador.

Dutra acredita que a conquista deste prêmio – somada aos trabalhos científicos que publicou durante o mestrado e o doutorado – foi fundamental para hoje estar realizando seu sonho de adolescência: ser convidado para fazer parte da Universidade de Harvard, onde atua como postdoc, na área de malária, algo que considera completamente novo e desafiador. “Irei levar esse prêmio por toda a minha vida! Gostaria de ver cada vez mais brasileiros, especialmente mineiros, ganhando este prêmio. Como costumo dizer: para boas ideias não existem fronteiras, e a Fundação Gates é a prova clara disso!”, conclui.

Devido ao acordo entre o CONFAP, a Fundação Bill & Melinda Gates elaborou um documento com dicas de submissão de propostas para os candidatos brasileiros. Um termo aditivo do acordo entre a FBMG e as FAPs foi ratificado no último fórum do CONFAP.

Acesse o documento completo.

 

Outras informações podem ser obtidas com a Central de Informações da FAPEMIG pelo e-mail ci@fapemig.br .